domingo, 5 de abril de 2015

Trecho de Luna Caliente

Trecho de Luna Caliente (editora LPM, 1985), romance de Mempo Giardinelli. A citação foi extraída do capítulo XXIV.


Sentou-se na cama e tomou um gole de Coca-Cola que lhe haviam trazido, aguada, porque o gelo estava quase totalmente derretido. O calor era insuportável e o aparelho de ar condicionado, mudo, era outra forma de subdesenvolvimento. Mas isso não era importante. O importante era esperar. Se até o medo havia perdido... Via isso no espelho defronte à cama, que devolvia seu corpo sem camisa, seminu, no pescoço o chupão que lhe recordava a paixão por Araceli, sua mordida, sua sucção. A marca que era um testemunho do que acontecera, do que ele havia feito. Mas é um testemunho efêmero, pensou, logo passará, porque as marcas em poucos dias desaparecem. O testemunho interior, não, esse não desaparece. Não há simulação possível para a tristeza profunda, porque a tristeza não deixa marca alguma.